O Hub Criativo do Beato (HCB) Living Lab é um projeto que potencia o desenvolvimento de novas tecnologias e serviços para mitigar o impacto das alterações climáticas, promovendo também a sustentabilidade do ecossistema empresarial que está a crescer na zona oriental de Lisboa. Entre as principais medidas, estão a constituição de uma comunidade de energia, a criação de espaços para agricultura urbana, sistemas de energia e iluminação inteligentes, a neutralidade nos transportes públicos, projetos de economia circular na cadeia alimentar do HCB, entre outras. A execução do projeto tem duração prevista de três anos, terminando em 2024.

Alinhada com a aposta na vertente de sustentabilidade ambiental do HCB, a Startup Lisboa, entidade responsável pela gestão do HCB, com a coordenação técnica da Lisboa E-Nova, e em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, viu aprovada a sua candidatura ao Programa “Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono”, com financiamento parcial dos EEA Grants , para a implementação de projetos piloto de laboratórios vivos de descarbonização e mitigação às alterações climáticas através do projeto HCB Living Lab, um projeto transversal a todo o espaço do novo Hub Criativo do Beato.

Os projetos a desenvolver neste living lab intervêm em quatro áreas prioritárias: Energia, Edifícios, Mobilidade e Economia Circular & Ambiente. Através de diferentes meios e atividades, o HCB LL vai apoiar a criação de um ecossistema de inovação, para a transformação urbana, através de uma série de ações promovidas em colaboração com parceiros, alguns deles residentes do HCB: Carris, Circular, DST Solar, Innovation Point, Mota- Engil Renewing, Praça, Prio-Bio, Schréder, The Browers Company e Watt IS.

Segundo o diretor executivo da Startup Lisboa, Miguel Fontes: “o objetivo é criar no Hub Criativo do Beato um laboratório vivo que permita testar, demonstrar, afirmar e promover o desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras que contribuam para a melhoria da sustentabilidade ambiental do projeto, com vista a um aumento da resiliência e da capacidade de resposta às alterações climáticas, garantindo o envolvimento ativo dos cidadãos, empresas, autoridades públicas e universidades locais”.

Esta iniciativa vai fazer do HCB um espaço de demonstração em grande escala, um smart campus onde se espera que as ações, soluções e serviços implantados, demonstrem o potencial de replicação das abordagens na prática e num ambiente urbano real.

Apesar do momento que vivemos, marcado por uma situação de pandemia, o HCB manteve os trabalhos de reabilitação de infraestruturas e espaços exteriores. Para além do edifício da Factory que irá acolher o projeto da Mercedes-Benz.io, com previsão de abertura ainda este ano, já arrancaram também, este ano, as obras de reabilitação dos espaços que serão ocupados pela Praça.

Sobre os EEA Grants:
Através do Acordo sobre o Espaço Económico Europeu (EEE), a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega são parceiros no mercado interno com os Estados-Membros da União Europeia. Como forma de promover um contínuo e equilibrado reforço das relações económicas e comerciais, as partes do Acordo do EEE estabeleceram um Mecanismo Financeiro plurianual, conhecido como EEA Grants. Os EEA Grants têm como objetivos reduzir as disparidades sociais e económicas na Europa e reforçar as relações bilaterais entre estes três países e os países beneficiários. Para o período 2014-2021, foi acordada uma contribuição total de 2,8 mil milhões de euros para 15 países beneficiários. Portugal beneficiará de uma verba de 102,7 milhões de euros. Saiba mais em eeagrants.gov.pt